Fechecler estourando? Nunca mais. Nunca mais!

Acordei nesta segunda-feira com uma preguiça daquelas, de fazer inveja ao Garfield. Queria muito poder ficar em casa. Mas não era possível, mesmo. E até que fosse! Só de lembrar que era dia da faxineira e que detesto estar em casa enquanto alguém está limpando, varrendo, fazendo e acontecendo (sou avessa, mesmo) já tive uma vontade louca de ir trabalhar, e logo!

Sentei na cama, olhei pela janela sacando qual era a do tempo, pensando no que vestiria, sem saco nenhum pra nada. Abri o armário, olhei lá pra dentro, tenho tanta coisa, não posso me queixar, mesmo. Mas, resolvi estrear uma blusinha que comprei no sábado, muito fofa. Com a calça preta ficaria ótima.

Lembrei que havia me comprometido a hoje mesmo me determinar e retomar uma rotina alimentar bacana, parar com a negligência que tem me derrubado. Senti uma coisa esquisita, um “ah, tá, é hoje”. Sempre curto tanto, hoje foi diferente. Mas sei que isso é mecanismo interno, sei lá o que é, o fato é que decidido estava, então era encarar.

Não acho sacrifício fazer as coisas do jeito certo, me habituei, são 8 anos, mas são momentos diferentes, fases, a me entendeu muito bem, sacou tudo, amiga…

Depois do banho, comecei a me vestir. A blusa ficou ótima, a calça subiu bem, ótima nas pernas, um pouquinho justa no quadril, nada demais. Tirando o fato de ter sido preciso um reboladinho básico na hora de subir o fechecler (ou ziper, para quem preferir), associado a prender a respiração só um instantinho. Mau sinal. Esta calça outro dia estava até larguinha. E não é modo de falar, foi outro dia, mesmo.

Brinco, aneis, uma coisa e outra, troca de bolsa etc. e num movimento mais brusco (porém, nem tanto), o bendito fechecler abre. Não, ele não abre. Ele arrebenta. A calça fica fechada lá em cima, perto do cós, o fechecler aberto embaixo.

Fico P da vida, pois sei o que aconteceu. Fechecler pode arrebentar por mil motivos. Não raro, eu prendo o fecho no tecido e, do jeitinho que sou ‘delicada’ puxo com tudo e pronto, arrebento. Acontece com calça, com bolsa…

Mas neste caso, não foi assim. Foi da outra vez, em que mandei trocar o fecho desta mesma calça, há pouco tempo. Agora, não. Agora foi porque mesmo não estando arrochada no meu corpo, não estava também no ponto certo e estourou.

O que mais me incomodou foi lembrar que há ANOS eu não sabia o que era passar por isso. Achava que jamais voltaria a acontecer. Ok, vocês devem achar que estou fazendo um dramalhão por algo muito simples, comum. Mas, caramba, para mim isso foi comum por quase 30 anos e depois deixou de ser por mais de 5 anos. E deixou de ser por mérito meu, por esforço meu, por conquista minha.

Por isso, incomodou. Tanto que eu, que pelo visto acordei um pouco burra, resolvi que sairia com a calça mesmo assim, afinal a blusa nova era compridinha. Esqueci que a calça não tem cós, não tem botão, o que a fazia ficar presa ainda era a parte superior do fechecler, engatada. Ou seja, se eu peidasse… kkkkk

Tudo bem a caminho do trabalho, tudo bem durante toda a manhã. Na hora do almoço, no banheiro antes de sair, claro, o fecho acabou de dizer adeus. Dei um jeitinho muito do torto, com uns pontinhos, usando o kit de linha e agulha que tenho no trabalho, daqueles bem baratinhos (e vagabundos) que vendem no camelô (mas que quebram galho, muitas vezes).

Não adiantou. Linha horrorosa. Usei a própria agulha como um grampo e saí, totalmente sem saber o que faria depois. Entrei em 2 farmácias e só na segunda encontrei alfinetes, daqueles tipo de fralda, só que lá só tinha pequenos. Comprei logo um monte e lá no banheiro da farmácia, fiz um trilho na calça, para segurá-la. Me livrei da agulha que a qualquer momento entraria na minha barriga. E saí confiante.

Entrei numa lanchonete, onde tomei um copo pequeno de suco anti-estresse, bem gostoso, nada mais que a mistura equilibrada de banana, pera e morango. Comprei um sanduiche light para comer na volta, pois estava aproveitando o almoço para resolver um assunto pra lá de importante. Que não foi resolvido, graças a burocracias e burrices de certos órgãos, deixa pra lá, até o fim desta semana isso estará vencido.

Na volta para o trabalho, senti que um dos alfinetes abriu. E veio o pavor de os outros quererem imitá-lo. Faltava essa, eu na rua ficando sem calça. Felizmente, de repente, um oásis. Uma barraquinha super simpática por onde passo sempre e raramente paro, onde a dona vende roupas, adereços etc. e comprei ali mesmo uma calça comprida gostosa, que combinou muito bem com a minha blusa nova. Troquei assim que cheguei na empresa. E acabou o suplício.

O que fica disso? Uma certeza absoluta. Mesmo ainda sem aquele tesão todo que gosto de ter para meter o pé na estrada, mesmo sem tanto entusiasmo quanto sei que é importante e que me move de jeito especial, mesmo ainda ‘sem querer, querendo’, estou na área, pra valer. Foi a última vez na minha vida que um fechecler estourou por eu ter engordado.

Foi a última vez. Eu pensei que jamais passaria por isso de novo, passei e não gostei. Foi bom para eu lembrar de algo que não quero mais para mim. Lembrei de muitos sufocos por causa disso, no passado,  que não vou reviver mesmo.

Eu tinha acordado com o compromisso de fazer um dia bacana pra chuchu. Faltou, eu sei, sentir a alegria tremenda que sempre sinto quando enfio o pé na estrada. Mas então, a viagem será feita do mesmo jeito. Não vou esperar entender o que me faz ficar mais apática, não vou esperar saber onde está a paixão, não vou esperar o estresse ir embora de vez, o cansaço sumir, chega.

Fiz um dia bacana pra chuchu, sim, e a minha nota hoje é 10. Quem faz um dia, faz dois. Amanhã vai ser outro dia bacana, eu quero e vou conseguir. E a famigerada calça preta? Vai ganhar um fechecler novo. E vai ter que me engolir, ela vai ficar larguinha de novo, em breve. Podem escrever. Eu assino embaixo.

Fui! Beijos!

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

23 respostas para Fechecler estourando? Nunca mais. Nunca mais!

  1. Isabelle disse:

    Como já acompanhei muitos posts seus, desde 2005, imagino como você se sentiu. E tenho certeza da força que tudo isso trará em dobro para você também. Vamos que vamos, bjs!

  2. Vou subir nesse trem aí com vc, viu ??
    Sábado me acunteceu a mesma coisa, a mesmíssima coisa.
    Eu tava indo pra casa da Amandinha, a do Blog “Mais além”, lembra dela, a que operou um tumor no mediastino ??
    Peguei uma calça linda que comprei há uns meses atrás e ela simplesmente não abotoou.
    É o fim de feira… Essa sujeira da xepa eu não quero nunca mais!
    Tamo junta!!!
    Beijocas

  3. Rosana disse:

    Beth,

    Acompanho seu blog desde 2002, e vc me passa tanta força e determinação, é super culta, escreve super bem, é madura, inteligente, enfim um ótimo exemplo de vida.
    Tenho 46 anos, sou casada e tenho dois filhos de 15 e 13 anos. Sou advogada e meu marido também, trabalhamos juntos, eu não tenho empregada nem faxineira. Vivo feito louca tentando dar conta da casa, do escritório, dos filhos. E de tempos em tempos esqueço totalmente de mim, me alimento de forma errada, deixo de me exercitar, fico bem largada! Mas aí a gente percebe que temos uma força interior, que nos empurra em direção ao caminho certo novamente. Acho que vc está de posse dessa força de novo, agora é só botar prá quebrar. Afinal vc sempre sacode a poeira!!
    Beijos
    Rosana

  4. aline disse:

    E realmente ta brabo….quando tomamos consciencia disso é que é bom…..e vc como sempre vai direto ao ponto…e por tudo que acompanho sobre vc sei que vc vai virar o jogo porque vc faz…boa sorte e força na “peruca”
    bjs

  5. walquiria disse:

    Oi Beth, tá acontecendo algo parecido comigo, pior, eu ainda não tomei consciência da necessidade de emagrecer, putz…
    Beijos

  6. JT disse:

    Lindona,
    Que bom que você voltou! Fico muito feliz!
    Sei que é muito difícil arrumar motivação em determinados momentos. Eu tb estou procurando (podia vender na farmácia né?). Mas não se permita engordar mais… isso vira uma bola de neve e só piora a situação. Esse episódio da calça foi um sinal de que tá na hora de seguir firme…
    Conte com meu apoio e parceria nessa labuta ok?
    bjs
    JT

  7. Lela disse:

    Miga,

    Cadê aquele entusiasmo pra derrubar os quilinhos quando este novo blog surgiu??

    ai ai ai!

    A narração foi ótima e já passei por isso de querer desfiar “a lei dos panos” e vestir porque sim a roupa que cabe ou não – faz tempo que encostei-as no armário e só tem um pouquinho; cada vez mando mais pra igreja, rs!

    Quero te ver lá em cima de novo e falando dos “shortinhos molinhos”

    Falo porque te quero bem, mulé!

    Te curto muito

    Beijusssssssssssssssssssssssssssssssss

  8. Clara Miranda disse:

    Ai Beth!
    QUE ÓDIO! Me senti no seu lugar, sabia?
    Nunca passei por isso, mas deve ser terrível…
    Pois é… o prazer do pé na estrada é indescritível!

    Bjim

  9. Gisa disse:

    Ah! Nós mulheres sempre brigando com a balança! Quem aqui nunca surtou com o peso põe o dedo aqui… Rs….
    Mas relaxa. Se você conseguiu, por méritos próprios, passar anos sem se preocupar com isso, nada é impossível pra vc. Força na peruca que no fim, tudo vai dar certo.
    Adorei o blog e passarei por aqui sempre.
    Beijos, Gisa.

  10. Luna disse:

    Querida Beth
    Eu estou passando por um período exatamente igual ao teu… Depois de anos de uma peso decente, de roupas sem arrebentar, de fechos fechando que é uma beleza… Estou tendo esses mesmos dissabores… Olho pra mim e nem me reconheço mais por ter conseguido viver tanto tempo gostando do corpo que eu tinha conquistado somente com o suor do meu rosto… É tudo mais fácil qnd a gente está mais leve, né… Imagina, até um fecho pode nos dar uma dor de cabeça qnd estamos acima do peso…
    Li esta frase que tu escreveu: “O que fica disso? Uma certeza absoluta. Mesmo ainda sem aquele tesão todo que gosto de ter para meter o pé na estrada, mesmo sem tanto entusiasmo quanto sei que é importante e que me move de jeito especial, mesmo ainda ‘sem querer, querendo’, estou na área, pra valer.”.
    Aí, me identifiquei ainda mais contigo, porque estou exatamente nesse momento… Estou mal até da depressão por ter engordado tanto, mas cheguei num momento que fiz essa mesma escolha que tu… Já estou ha quase um mês fazendo as coisas como tem de ser feitas… Vontade? Sinceramente, estou com mais ou menos uns 30% só, não estou como antes no processo de emagrecimento, onde eu era como tu: alegre por estar fazendo o certo… Hoje, estou até mesmo triste fazendo, mas o importante é que estou fazendo, dane-se a falta de vontade e ânimo, resolvi reassumir o compromisso comigo mesma, com a minha saúde… Estou decidida a, mesmo passando por uma fase péssima, fazer o que tem de ser feito e estou fazendo, querida, e continuarei…
    Tua decisão tá muito certa! Não pode ficar esperando o “tesão” aparecer, tem de começar agora, exatamente como tu fez!
    Tu é uma grande batalhadora e com certeza vai vencer de novo esse peso a mais, eu sinceramente acredito!!! Assim como acredito em mim…
    Se um dia tu levantar péssima… Pensa que o melhor que tu pode fazer por ti é comer direito e cuidar de ti… Se a coisa tá ruim, descontando na comida, só vai piorar, então o negócio é arregaçar as mangas e ir a luta com ou sem ânimo, com ou sem tesão!
    É assim que tenho levado os meus dias nesse quase um mês em que posso me orgulhar de dizer que voltei a cuidar de mim…
    Logo, logo, será tu pensando o mesmo do mês que passou!
    Um grande abraço, fica com Deus e continua com a tua decisão firme aí!

  11. NINI disse:

    Beth você não é a única a passar por isso!! eu emagreci 35 kilos, fiquei como corpo que pedi a Deus ( depois de muito malhar tb – 3 horas diárias , 5 vezes por semana ) e joguei tudo para o alto – ENGORDEI OS 35 – TODOSSSSSSS –
    Você faz muito bem em não deixar isso ir para frente como eu fiz – engordei 1, 2, 3 – 5 k já tinha que dar o estalo não? NÃO DEU – até hoje me arrependo muito!!! e me culpo por ter chegado nessa situação novamente!!
    beijo

  12. Andrea disse:

    Oi querida!
    Obrigada pelo carinho de sempre.
    Tô mais calminha sim. Com medo, claro, mas calma.

    Sobre o post, muito animador.
    Quem já não passou por isso? Acho que a maioria das mulheres já.
    Só que é mais difícil engolir em casos como os nosso por exemplo, que já atingimos, ou quase, uma determinada meta e por vacilos, acabamos engordando.

    Tenho não uma, mas pelo menos umas 6 calças me aguardando lá no armário.
    E certeza que se as usasse hoje, do jeito que estou, acabariam com os zíperes estourados também, rsrs.

    Semana passada estive triste, amedrontada e numa tpm que fala sério. Daquelas de fazer comer tijolo. Comi só porcarias.
    Mas passou. Desde ontem alimentação saudável, como deve ser.
    E me anima saber que por aí as coisas estão caminhando bem, de novo.

    Tira uma foto da calça hoje. Pra comparar com daqui algum tempo.
    Acho que anima mais ainda.

    Beijos, se cuida e apareça.

  13. Lisa disse:

    “ah, tá, é hoje”.
    então é isso… “ah, tá, é hoje”
    tem de ser assim a cada novo hoje, Beth…
    repare que nem precisa de muitas palavras…
    5 sílabas bastam…
    1a. sílaba, ah
    2a. sílaba, tá
    3a. sílaba, é
    4a. e 5a. ho-je
    “ah, tá, é hoje”.

  14. Tetê disse:

    Oi Beth! Meu PC vinha dando problemas, até avisei num post prá caso eu “sumisse” de repente. Na quarta feira de cinzas, ele não quis mais funcionar. Ficou 10 dias na assistência técnica pois no carnaval, aqui muitos PC deram problemas. Quando voltei logo senti sua falta e toda vez que postava dizia, vou retribuir as visitas e passar prá ver como a Beth está. Mas cadê que a correria deixou?
    Que sufoco essa do fecho eclair! Por isso é que eu só uso calça de elástico na cintura! Mas não faça como eu… fica firme no fecho! Bjks Tetê

    • Beth disse:

      Tetê, depois de tanto estourar fechos, eu já cada vez mais obesa passei a só usar roupas de elástico na cintura. No máximo, com fecho na frente e elástico atrás e em parte da frente. Depois, isso acabou. E eu quero manter, sabe amiga? Se a gente se libera das coisas, vai deixando rolar e depois… depois já sabe né? Beijos

  15. disse:

    Ah, fala a verdade, vc queria era uma calça nova, rsrsrsrs. Sim, porque sair com a calça arrebentada só podia dar no que deu! Como vc disse em um dos meus posts recentes, seria cômico se não fosse trágico, mas no fim a gente acaba até achando graça. Agora, isso de por um pé na frente do outro e sair andando, sem pensar se estamos gostando ou não, mas que temos que chegar a um determinado lugar, é uma estratégia boa sim, já fiz isso muitos anos com emprego de salário bom, mas trabalho ruim e sobrevivi. Talvez seja por aí que também devo seguir. Eu só precisaria incorporar um componente a isso: compromisso. Quando a gente gosta do que está fazendo, compromisso acaba sendo algo natural, mas, por obrigação, acabamos com aquela sensação de segunda-feira que vc teve ontem. Dá vontade de boicotar!
    Mas é isso aí, quem não arrisca não petisca, quem não aposta não ganha e quem fica parado é poste. Vamos em frente então.Bjsss.

  16. Fabíola disse:

    Oi, Beth!!! Saudades!!!

    Ai, linda, não se entrega não, vc já passou pelo pior e sabe o caminho para a vitória, então… mãos a obra!!!!

    Estamos juntas.

    Beijos

  17. Taty Carioka disse:

    Beth Maravilhosa!

    O corpinho deu o grito de socorro!
    Eu não quero voltar aos 140 kg não!

    Amiga,
    Vamõ acabar com a palhaçada….pegar leve nos engordiets
    Vc já tem probleminhas emagrecendo…imagina engordando!
    Ai,ai,ai

    Virei adolescente….não sei que vestibular fazer
    Olha que ponto cheguei…ai meus sais!

    Beth,mais dois eventos pela frente Páscoa e Dia das Mães.
    Carnaval fiquei sozinha pela primeira vez…assistindo os desfiles
    Nem quis fazer sanduiches pra não lembrar de nada.
    Ronan trabalhando
    Assisti o Salgueiro segurando o choro (meus pais desfilavam,mas meu pai era Mocidade)
    Mas chorei com a Mangueira falando do Nelson Cavaquinho que eu amo!
    Na Imperatriz fiquei em choque pq não acreditava que estava sozinha!
    Não é mole,não

    Ela aparece nos meus sonhos…briga,dá conselhos,falou que estou indo bem
    Ás vezes tá com meu pai
    Mas tem dias que a revolta vem…mas passa!

    Mas não desista,Beth
    Vc tem seu marido anjo da guarda,filhote,”filhota”,as blogueiras todas torcendo por vc!

    É só uma fase
    Respire no saco
    Fique com Deus,beijaum

  18. Vanessa disse:

    Oi Beth!!!!

    vou te dizer porque continua sendo inspiração… não é para qualquer um, detonar muuuitos kilos, traçar uma trajetória de sucesso, não perder a humildade, se importar com o próximo e demonstrar carinho e respeito pela sua história e principalmente dar seu apoio, e ter sempre um sorriso aberto e franco para nos presentear… bem, na minha modesta opinião é o bastante.

    não pense que esqueci o carinho que vc recebeu a mim, a Paty e a Rebss aí no Rio, viu.

    um passo em falso estamos sempre propensos a dar… alguns acabam desistindo… outros como vc, e eu nesta nova fase, batemos a poeira, respiramos fundo e seguimos em frente.

    com certeza vamos superar e vencer, e essa bendita calça ainda vai pedir umas pences! rsssss

    beijusssssss e obrigada pelo apoio e palavras amigas.

    http://www.vanessaorecomeco.blogspot.com

  19. Valquiria disse:

    Beth, em primeiro lugar quero agradece-la pelo carinho de sempre e pelos votos de felicidades no meu aniversário.Vc é uma amiga muito especial, te “conheço” desde 2005 e vc continua a mesma batalhadora linda de sempre e eu aqui do outro lado da telinha, só fico torcendo pela sua vitória.Sei muito bem da sua garra e determinação, essa calça ai que te fez passar o maior perrengue vai ser testemunha do seu emagrecimento, pode crer e estarei aqui para aplaudir de pé!
    Beijinhos carinhosos,
    Val

  20. Miss Slim disse:

    Como eu te entendo 😦

    Torcendo por ti 🙂

    Bjs

  21. Sueli disse:

    Ai Beth, que situação. O lado bom é que esses sustos nos fazem voltar para os eixos rapidamente. Estou aliviada por saber que o motivo do seu sumiço não foi nada grave, nenhuma doença… Quanto a minha ida ao Rio, não se preocupe, deu tudo certo e eu gostei tanto desta cidade que estou planejando ir de férias com a família, quem sabe nesta ocasião possamos nos conhecer pessoalmente? Só não sei quando vou concretizar este sonho, afinal, até o meio do ano eu só pago impostos, não sobra dinheiro para mais nada, talvez consigamos ir no final do ano. Aproveite que você irá entrar de férias para se organizar com calma. Beijos e sucesso na sua retomada.

  22. Lu disse:

    Beth querida,
    Que bom que você pode perceber logo que a dona balança estava querendo lhe passar uma rasteira e partiu logo para uma boa conversa para reaver a amizade dela, rsrsr.
    Eu não percebi os deslizes logo e tenho que derrubar 20kg pra dona balança fazer as pazes comigo, rsrsrs.
    Tenha uma ótima semana!
    Mil beijinhos,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s